Palmeiras descobre que ainda teve prejuízo com compra de Borja

0

Mesmo com a provável venda de Miguel Borja para o River Plate, o Palmeiras ainda ficará no prejuízo pelo investimento feito no jogador. Para contratá-lo, em 2017, o Alviverde desembolsou, ao todo, 48 milhões de reais, sendo parte da quantia paga pela Crefisa.

A contratação mais cara da história do clube, no entanto, virou um fracasso. Em 2020, o centroavante foi emprestado ao Junior Barranquilla, sem custos. Ao retornar, um ano depois, foi novamente emprestado. Na oportunidade, o Grêmio pagou R$ 6 milhões para tê-lo durante um período.

No início desta temporada, o Junior pagou R$ 15,3 milhões por 50% dos direitos econômicos do colombiano, mas ainda tem uma pendência com o Alviverde.

Agora, tudo indica que o River aceitará pagar US$ 7 milhões (R$ 36,5 milhões). O Verdão, que detém 50% dos direitos do atleta, ficará com cerca de R$ 18 milhões.

Dessa forma, o Palmeiras receberá, no total, R$ 39,3 milhões pelo centroavante. Sendo assim, o prejuízo com o jogador será de R$ 8,7 milhões.

Palmeiras não teve o retorno esportivo esperado com Borja

O debate sobre a passagem do camisa 9 pelo Allianz Parque não é unânime. Com 36 gols em 112 partidas disputadas, o desempenho do colombiano divide opiniões. Para uns, foi um fracasso por conta da expectativa gerada e do investimento realizado. Para outros, foi uma passagem razoável.

O centroavante foi o artilheiro da Libertadores de 2018, com 9 tentos, sob o comando de Felipão, na época. Entretanto, a imagem final que fica do jogador com o manto palestrino são os gols perdidos.

Enfim, se gostou do conteúdo não deixe de acessar com frequência o Portal do Palmeirense e nos seguir no Instagram.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.