Jogador pediu 2 milhões ao Verdão e acabou com o contrato rescindido

0

Nesta terça-feira, o Verdão confirmou a rescisão contratual do zagueiro Renan por justa causa. O jogador estava emprestado ao Red Bull Bragantino e se envolveu no acidente que resultou na morte de um motociclista de 38 anos. Antes de ter o acordo desfeito, o atleta ainda tentou tirar dinheiro do clube.

Segundo o jornalista Jorge Nicola, o Palmeiras procurou Renan para uma rescisão amigável. Porém, os advogados do jogador pediram R$ 2 milhões para desfazer o acordo entre as partes.

Como o zagueiro tinha contrato até 2025 e ganhava um salário na casa dos R$ 90 mil, os advogados acreditavam que o cliente teria por volta de R$ 4 milhões a receber até o fim do vínculo e pediram metade dessa quantia.

O clube não aceitou e rescindiu o contrato de Renan por justa causa. Para o Alviverde, a irresponsabilidade do atleta de 20 anos foi grave e devastou uma família, por isso a decisão drástica.

Da mesma forma, o Red Bull Bragantino também não tem mais ligação com o jogador, que está sem time e se concentra em sua defesa.

Assessoria de Renan se pronunciou após rescisão com o Verdão

O zagueiro foi preso em flagrante e foi indiciado pelo crime de homicídio culposo – quando não há a intenção de matar. Ele pagou fiança e responderá em liberdade.

Através de sua assessoria de imprensa, se pronunciou após ter os vínculos com o Palestra e o Bragantino encerrados. Confira a nota abaixo.

“O atleta Renan, através de sua assessoria, informa que foi comunicado, na última sexta-feira, da rescisão do contrato pelo Red Bull Bragantino, bem como no sábado, pela Sociedade Esportiva Palmeiras. 

O atleta está concentrado em sua defesa e na tentativa de retomar a sua carreira, e refuta qualquer descumprimento de contrato, tanto em relação ao Red Bull, como em relação ao Palmeiras.”

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.