Verdão foi roubado? Jornalista comenta

0

O clássico de ida da grande final do Campeonato Paulista de 2022 aconteceu na quarta-feira e foi recheado de polêmicas ainda não digeridas pelo torcedor palmeirense. O jogo acabou 3 a 1 para o São Paulo, exigindo um resultado elástico para título direto do Verdão no jogo de volta.

A polêmica começou em um lance, no final do primeiro tempo, onde o placar marcava estava empatado sem gols, em uma tentativa de cruzamento de Alisson que desviou em Marcos Rocha. Inicialmente nada foi marcado pelo árbitro de campo, mesmo com a reclamação dos jogadores do tricolor, mas após chamada para checagem do árbitro de vídeo, a penalidade foi marcada. com um toque de mão apontado pelo VAR e confirmado pelo juiz de campo.

Na cobrança do pênalti, Jonathan Calleri abriu o placar para o tricolor. O time do Palmeiras contestou a decisão, inclusive com Abel na coletiva de imprensa após o jogo, usando o termo “inquinado”, que significa “sujo”, “manchado”, ao se referir ao campeonato paulista.

Jornalista opina sobre polêmica

Após a chamada do VAR para checagem, o árbitro Douglas Marques das Flores, que não havia marcado infração, foi até o monitor e atestou o toque com infração. “No campo, eu tinha visto pegar nesse braço direito. Pega no braço esquerdo, e a bola ia passar, aumentando seu espaço corporal”, disse o árbitro.

“Acho a conversa constrangedora e acho que o futebol é muito mal tratado quando um jogo importante, com duas equipes grandes e tanta gente envolvida, os rumos de uma partida como essa, ficam nas mãos de pessoas tão desqualificadas profissionalmente. Esses caras não sabem o que é futebol, então eles não podem apitar futebol”, frisou o jornalista Mauro Cezar Pereira ao programa Bate Pronto, da Jovem Pan Esportes.

Neste domingo (3) acontece o jogo de volta da final, onde será definido o grande campeão estadual deste ano.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.