História alviverde: Os maiores ídolos do Palmeiras

0

10 maiores ídolos da história do Palmeiras

• Ademir da Guia “O Divino”

Ademir da Guia Palmeiras
Imagem: jovempan.com.br

Um dos maiores expoentes da história repleta de glórias da Sociedade Esportiva Palmeiras é, indiscutivelmente, Ademir da Guia, “O Divino”. Filho do ex-zagueiro Domingos da Guia, Ademir além do talento para o futebol, herdou também o apelido do pai, que era conhecido como “Divino Mestre”. Iniciou a carreira na equipe alviverde com dezenove anos em um clássico vencido pelo placar de 3 a 0 contra o Corinthians. 

Foi peça fundamental na sólida equipe palmeirense dos anos 1960 e 1970, época em que o futebol brasileiro e paulista contava com o Rei Pelé em alto nível. Títulos nacionais que antecederam o Campeonato brasileiro como o Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967 e 1969), a Taça Brasil (1967) e o próprio Campeonato Brasileiro (1972 e 1973) tiveram o Palmeiras campeão com protagonismo de Ademir da Guia. É o jogador que mais atuou com a camisa alviverde, 902 vezes.

• Marcos

Goleiro Marcos Palmeiras
Imagem: espn.com.br

O goleiro Marcos é ídolo não somente da torcida palmeirense, é também um ídolo nacional por ter sido o defensor da meta da Seleção Brasileira no pentacampeonato em 2002, quando a Copa do Mundo foi disputada na Coreia do Sul e no Japão. Pelo Verdão, o célebre goleiro atuou durante 20 anos, dedicando inteiramente a sua carreira profissional ao Palmeiras. 

Foi decisivo em um dos títulos mais importantes da equipe paulista, a Copa Libertadores de 1999, quando se sagrou campeão e eleito como o melhor jogador do torneio. Marcos também é recordista na Copa Libertadores da América como o goleiro que mais pênaltis defendeu na competição. Em seu currículo multicampeão, além da Libertadores, destacam-se também conquistas como o Campeonato Brasileiro (1993 e 1994), a Copa do Brasil 1998, o Campeonato Paulista (1993, 1994, 1996 e 2008) e muito mais.

• Heitor

Heitor Palmeiras
Imagem: gazetaesportiva.com

Com larga vantagem sobre o segundo colocado, Heitor é o maior goleador da história da Sociedade Esportiva Palmeiras, com 315 gols. Descendente de italianos e com uma afinidade grande pelo clube alviverde, Heitor foi um dos primeiros atletas destaque do Palmeiras, com uma estreia precoce e definitiva aos 17 anos.

Referência no esporte brasileiro dos anos 1920 e 1930, Heitor também defendeu a equipe de basquete do Palestra Itália, conquistando o Campeonato Paulista da modalidade em 1928. Pela Seleção Brasileira, contribuiu para o título da Copa América de 1919, um ano depois foi destaque no primeiro título do Palestra Itália, o Campeonato Paulista de 1920, quebrando a hegemonia do então tetracampeão Paulistano.

• Leivinha

Leivinha Palmeiras
Imagem: ge.globo.com

No início dos anos 1970, a equipe do Palmeiras vivia um período chamado de “Segunda Academia”, quando ídolos como Ademir da Guia, Luís Pereira e César Maluco faziam parte de um elenco memorável e vencedor do Verdão. Leivinha, um jovem meio-campista chegado em 1971, também ganhava destaque na equipe campeã do Campeonato Brasileiro (1972 e 1973) e do Campeonato Paulista (1972 e 1974).

Era um cabeceador nato, eficiente e confiante, sua qualidade no cabeceio era tanta que na partida final do Campeonato Paulista de 1971 contra a equipe do São Paulo, o árbitro anulou um gol legítimo de Leivinha por supor que o jogador teria dado um soco na bola devido à força e velocidade da finalização. Atuou no Palmeiras até 1975.

• Luís Pereira

Luis Pereira Palmeiras
Imagem: palmeiras.com.br

Luís Pereira, um dos maiores zagueiros da história do futebol brasileiro, nasceu em Juazeiro, no estado da Bahia, em 1949. Sua primeira passagem pelo Palmeiras foi de 1968 a 1971, logo cedo assumindo a titularidade da equipe e consequentemente coroando a torcida palmeirense com os títulos do Campeonato Brasileiro de 1969 (Roberto Gomes Pedrosa), 1972 e 1973, e o Campeonato Paulista de 1972 e 1974.

Foi convocado para a disputa da Copa do Mundo em 1974 com a Seleção Brasileira, e foi o primeiro jogador brasileiro a ser expulso com cartão vermelho na história das Copas, na derrota do Brasil para os Países Baixos por 2 a 0. É o zagueiro que mais vezes marcou com a camisa do Palmeiras, 35 gols. 

• Alex

Alex Palmeiras
Imagem: palmeiras.com.br

O meio-campista Alex foi uma das maiores revelações do futebol brasileiro na segunda metade dos anos 1990. Chegou ao Palmeiras em 1997, após uma passagem destacada pela equipe paranaense do Coritiba. Sua categoria e inteligência fizeram com que a torcida o considerasse como um ídolo. Um ano após a sua chegada, em 1998, Alex foi extremamente importante nas conquistas da Copa do Brasil e da Copa Mercosul, na qual foi artilheiro com seis gols.

No mesmo ano, viveu a sua primeira experiência na seleção nacional quando foi convocado pelo então técnico Vanderlei Luxemburgo. Alex integrou o elenco campeão da Copa Libertadores da América de 1999, e teve grande contribuição principalmente na semifinal contra o River Plate da Argentina, quando marcou dois gols na vitória por 3 a 0, resultado que deu a classificação para a equipe paulista.

• Edmundo

Edmundo Palmeiras
Imagem: ge.globo.com

Em 1993, o Palmeiras amargava um jejum de títulos que já durava 17 anos, e foi então que surgiu uma parceria de muito sucesso com a empresa italiana Parmalat. A equipe palmeirense montou um elenco forte e sólido para acabar com o jejum de conquistas, entre os escolhidos estava Edmundo, campeão carioca em 1992 com o Vasco da Gama.

Edmundo chegou ao Palmeiras como revelação do futebol brasileiro, e logo provou sua competência, tornando-se ídolo do clube alviverde. O título veio no mesmo ano, o Campeonato Paulista de 1993, conquistado sobre o maior rival, o Corinthians. A partir daí, o jogador conquistou também o Campeonato Brasileiro nos anos de 1993 e 1994, e novamente o Campeonato Paulista em 1994.

• Djalma Santos

Djalma Santos
Imagem: epoca.globo.com

No bicampeonato mundial da Seleção Brasileira em 1962, teve o lateral-direito Djalma Santos como representante alviverde. Foi duas vezes eleito pela FIFA como o maior lateral-direito de todos os tempos, com participação em quatro edições de Copa do Mundo, em 1954, 1958, 1962 e 1966.

Djalma chegou no Palmeiras em 1959, já campeão do mundo com a Seleção Brasileira no ano anterior, e construiu no clube paulista uma das carreiras de maior sucesso do futebol brasileiro. Atuou em 498 partidas pelo Palmeiras até 1968, quando se despediu da equipe, deixando na história títulos nacionais como o Torneio Roberto Gomes Pedrosa 1960 e 1967, e a Taça Brasil 1967.

• Evair

Evair Palmeiras
Imagem: palmeiras.com.br

Evair está na lista dos 10 maiores artilheiros da história do Palmeiras com 126 gols e assim como Edmundo, fez parte do elenco que tirou a equipe alviverde de um jejum de títulos com a conquista do Campeonato Paulista em 1993. Além de goleador e um jogador fundamental para o Palmeiras nos anos 1990, Evair marcou um dos gols da segunda partida da final da Copa Libertadores da América de 1999, edição que teve o Verdão como campeão.

Em um total de cinco anos defendendo o Palmeiras, o centroavante conquistou seis títulos, duas vezes o Campeonato Brasileiro (1993 e 1994), duas vezes o Campeonato Paulista (1993 e 1994), a Copa Libertadores da América de 1999 e o Torneio Rio–São Paulo de 1993.

• Leão

Leão Palmeiras
Imagem: ocuriosodofutebol.com.br

Aos 20 anos, o goleiro Leão fazia parte da Seleção Brasileira tricampeã em 1970. O motivo pelo qual foi convocado era notadamente as suas atuações à frente da equipe palmeirense campeã brasileira em 1969. Leão ainda seria titular nas duas próximas edições da Copa do Mundo, em 1974 e 1978, permanecendo 457 minutos sem levar gols. Pelo Palmeiras, foi o segundo jogador que mais vestiu o manto alviverde, 617 partidas, ficando atrás apenas de Ademir da Guia, com 902 partidas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.