Palmeiras prepara contra-ataque contra arbitragem após escândalo

0

O Palmeiras foi prejudicado na noite desta quinta-feira (14), na eliminação para o São Paulo, na Copa do Brasil. Por conta de um pênalti inexistente, o time do Morumbi levou a partida para as penalidades e se classificou. Em protesto aos erros de Leandro Pedro Vuaden, árbitro da partida, o clube enviará um ofício à CBF.

O Verdão vencia o jogo por 2 a 0 e havia acabado de perder um pênalti, quando o VAR chamou o árbitro para checar um possível pênalti de Gustavo Gómez em Calleri, aos 24 minutos do segundo tempo.

Vuaden foi ao VAR e, na volta, assinalou a penalidade. No entanto, a falta no lance não foi de Gómez e, sim, do atacante são-paulino. Antes de ser puxado – não suficiente para marcar a falta -, é o argentino quem puxa a camisa do zagueiro alviverde.

Além da marcação de uma penalidade inexistente, há mais duas possíveis irregularidades no lance. Na origem da jogada, Calleri parece estar impedido e, ao dominar a bola, o centroavante pode ter utilizado o braço direito.

Não bastassem múltiplos erros em um só lance, o árbitro, dentro de campo, e o VAR, na cabine de vídeo, deixaram passar um pênalti em cima de Dudu, ainda no primeiro tempo.

Técnico do Palmeiras criticou a atuação da arbitragem

Após a partida, em coletiva de imprensa, Abel Ferreira criticou as atuações do árbitro de vídeo e de Leandro Vuaden.

“Um minuto antes tem o pênalti, no lance seguinte tem o pênalti do adversário que o VAR marcou, não o Vuaden. E temos um pênalti do mesmo nível na primeira parte com o Dudu. Cada um faz o melhor que sabe e pode com os recursos que tem”, disse Abel.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.