Lesão de Raphael Veiga obrigou Palmeiras a segurar Scarpa

0

A contusão sofrida por Raphael Veiga, na partida contra o Botafogo, foi um alerta para o Palmeiras. Após a lesão do meia, quem assumiu o protagonismo do time foi Gustavo Scarpa, que vem sendo decisivo nas últimas vitórias da equipe. Essa é uma das razões pela qual o clube não quer se desfazer do camisa 14.

Na ausência de Veiga, o único jogador do elenco alviverde que tem características para substituí-lo é Scarpa. Com maior liberdade e protagonismo, Gustavo, inclusive, coloca em cheque a titularidade do camisa 23, que é uma peça decisiva e fundamental no esquema de Abel Ferreira.

“Scarpinha”, como é carinhosamente chamado pelos torcedores, tem contrato até o fim do ano no Allianz Parque. O desejo do meio-campista é deixar o clube e atuar no futebol europeu, como o próprio já declarou publicamente.

No entanto, o Verdão não negociará o atleta nesta janela de transferências, pois será difícil repor a perda imediatamente. A diretoria está disposta a segurar o jogador até o fim da temporada, mesmo correndo o risco de perdê-lo de graça.

Sem Raphael Veiga, Gustavo Scarpa assumiu o protagonismo

Na ponta-esquerda, Gustavo fica preso a certas funções táticas, embora troque eventualmente de posição com os companheiros e também flutue pelo campo. Deslocado para a função de Veiga, o meia é outro jogador, tem mais liberdade e “toca na bola” com maior frequência.

Em 2022, Scarpa soma sete gols e sete assistências. De acordo com o SofaScore, serviço de estatísticas, o meio-campista tem a melhor média do Brasileirão 2022: 7.68.

Entre os meias, o camisa 14 é o melhor da competição em assistências (5), participações em gols (7), passes decisivos (46), cruzamentos certos (38) e acertos nos cruzamentos (43%).

Enfim, se gostou do conteúdo não deixe de acessar com frequência o Portal do Palmeirense e nos seguir no Instagram.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.