Leila não age contra o VAR e sofre pressão interna no Palmeiras

0

A falta de ação da presidente Leila Pereira e dos dirigentes do Palmeiras sobre os erros da arbitragem no Choque-Rei pela Copa do Brasil mexeu com os bastidores do clube. Incomodada com a passividade, a União Verde e Branca (UVB), um importante grupo político do Verdão, mandou uma nota com cobranças fortes à CBF.

O documento endereçado à entidade máxima do futebol brasileiro e a Wilson Seneme, presidente da Comissão de Arbitragem, reclama com veemência da atuação do VAR no pênalti marcado no atacante Jonathan Calleri, do São Paulo. Como admitido pela própria CBF, a cobrança é em relação à não checagem do possível impedimento na origem do lance. 

Segundo a UVB, “o reconhecimento do erro não minimiza em nada o erro grotesco cometido pela equipe de arbitragem”. Além disso, causou danos financeiros e esportivos ao Alviverde.

Confira na íntegra a nota da UVB, grupo político do Palmeiras, à CBF

“A UVB(União Verde e Branco) vem, através desta, manifestar nota de repúdio à atuação da equipe de arbitragem e demais representantes da CBF, na partida entre Palmeiras x São Paulo, válida pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Além das decisões questionáveis tomadas em campo de jogo, nas quais não vamos nos alongar, destacamos:

– Marcação de pênalti a favor da equipe adversária através do VAR sem sequer ter traçado as linhas de impedimento. Procedimento básico no protocolo. O atacante adversário se encontrava em “POSIÇÃO IRREGULAR” ao receber a bola que dá origem ao lance da marcação do pênalti.

O reconhecimento do erro por parte da entidade máxima do futebol brasileiro não minimiza em nada o erro grotesco cometido pela equipe de arbitragem.

Tal conduta resulta da total falta de preparo da equipe de arbitragem. Incluindo o árbitro de campo, Leandro Vuaden, que não se preocupou em checar se todas as situações do lance fossem checadas. Se deixou influenciar por um erro crasso da equipe do VAR.

O lance, que resulta no gol adversário, e consequentemente altera o curso natural da partida e culmina com a eliminação da S.E. Palmeiras nos causa sérios danos esportivos, financeiros e psicológicos.

Entretanto, tal nota tem o objetivo principal de manifestar total indignação. E o reconhecimento do erro pela CBF não minimiza em nada a perda da S.E. Palmeiras.

Atitudes mais drásticas precisam ser tomadas em relação a arbitragem brasileira, que passa por um péssimo momento. Afastar a equipe do VAR por apenas uma rodada e permitir que Leandro Vuaden continuasse a exercer normalmente sua função entendemos ser uma falta de respeito com nosso torcedor.

A CBF precisa dar exemplo e se mostrar completamente competente no que se diz respeito ao departamento de arbitragem.

São Paulo, 17 de julho de 2022″

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.