Dirigente do Palmeiras perde a cabeça e dispara contra a CBF: “insustentável”

0

O diretor de futebol do Palmeiras, Anderson Barros, veio a público no último sábado (30) e criticou a arbitragem brasileira. Em nome do clube, o dirigente questionou a CBF a respeito dos constantes erros dos apitadores e do VAR nas partidas do Verdão.

“Algo que está ficando insustentável. Tivemos uma arbitragem complicada do Daronco. São situações que estão corriqueiras no futebol. O Palmeiras já esteve na CBF e as coisas não mudam. Não tem discurso que tentam mudar, pois os erros são muito maiores do que acontecia há um tempo atrás”, reclamou o diretor alviverde.

Em seguida, Barros cobrou uma posição mais contundente da entidade e de Wilson Luiz Seneme, o responsável pela arbitragem brasileira. Segundo o dirigente palestrino, se nada mudar, o futebol nacional vai piorar – se é que há possibilidade.

“Chegou um momento muito delicado do futebol: tomamos uma posição ou a CBF toma uma posição, ou o Seneme (presidente da Comissão de Arbitragem) toma uma posição drástica, ou o futebol vai caminhar para um lugar muito ruim”, completou.

Palmeiras foi novamente prejudicado

No último sábado, o Verdão venceu o Ceará por 2 a 1, no Castelão, pelo Campeonato Brasileiro. Assim como havia sido contra o Inter, o time ganhou “na bola”, pois arbitragem fez de tudo para que assim não fosse.

No segundo tempo da partida, Anderson Daronco deixou de marcar no campo o claro empurrão sofrido por Dudu, que impediu o camisa 7 de sair na cara do goleiro João Ricardo. Com auxílio do VAR, a falta foi dada e o jogador cearense foi devidamente expulso.

Depois, Daronco “criou” um pênalti de Danilo em Vina, confirmado pelo árbitro de vídeo e que quase prejudicou o Palestra no resultado final da partida, como aconteceu no Choque-Rei pela Copa do Brasil.

- Publicidade -

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.