8 declarações do técnico do Palmeiras que causaram polêmica

0

Polêmico e firme em seus posicionamentos, o treinador do Palmeiras já protagonizou alguns momentos que viraram temas de programas esportivos ao longo da semana. Confira as declarações de Abel Ferreira que deram o que falar. 

Após vitória sobre o Fortaleza, pelo Campeonato Brasileiro de 2020:

“O presidente da Fifa ligou ao presidente da CBF. Gostaria que o presidente da CBF pudesse dizer publicamente o que ele lhe disse. Isso, eu gostaria, que era para todas as pessoas perceberem que quem manda e quem decide no futebol brasileiro tem que ter… Ia dizer uma coisa, mas é melhor não dizer”.

Após as pichações no muro do Allianz Parque, em 2021:

“Quando olhamos para o copo meio cheio… Quero deixar um aviso para toda a torcida: quando eu for o problema do clube, eu deixo de ser o problema do clube. Da mesma maneira que decidi em um dia vir para cá, quando o treinador for o problema do clube, nós resolvemos”.

Em meio à polêmica sobre o calendário apertado no início da temporada de 2021:

“Quando a própria organização (FPF) não quer saber do Paulista, nós vamos ter que priorizar a Libertadores. Vamos fazer nosso melhor no Paulista. Se der para ganhar, ganhamos. Se não der para ganhar, seguimos em frente como vamos fazendo, dando nosso melhor a cada jogo”.

Depois da derrota por 2 a 0 para o São Paulo, na final do Campeonato Paulista de 2021:

“Nosso adversário não foi melhor do que nós em nada. Não criou mais oportunidades do que nós, não transitou mais do que nós, não teve ataque posicional melhor do que nós”, disse o treinador, que completou: “O adversário não foi melhor do que nós, a não ser na eficácia e na sorte que teve no primeiro gol”.

Após a derrota por 3 a 1 para o Red Bull Bragantino, pelo Campeonato Brasileiro:

“Em março, eu entreguei um relatório à direção com tudo o que era preciso. Eu e o Palmeiras precisávamos de jogadores para disputar a Recopa, a Supercopa e a final do Paulista. Eu, neste momento, não conto com reforços. Há muito tempo que fiquei sem esperanças de receber reforços. Os reforços que nós vamos ter vão chegar em agosto? Não, agosto já passou, vai ser difícil. Esta é a nossa equipe, este é o nosso elenco e estes são os nossos jogadores”, disse Abel, que completou: “Nem quando cheguei a equipe era tão fraca como diziam, nem agora somos os melhores do mundo como alguns querem dizer”. 

Depois da classificação à final da Libertadores de 2021, no Mineirão:

“Não foi para nenhum jogador do Atlético-MG ou seu treinador. Tenho um vizinho que mora no meu prédio que é um chato. Foi diretamente ao meu vizinho, porque quem manda na minha casa sou eu. Está calado! Quem trabalha dentro do CT sou eu e meus jogadores. Defendo meus jogadores porque são meus nas vitórias e derrotas. Ao meu vizinho, shiu!”.

Depois do empate por 0 a 0 com o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro de 2021:

“Eu não queria terminar essa entrevista sem mandar um abraço ao meu amigo Renato Gaúcho. Eu vi a última coletiva dele, porque gosto dele, acho um dos melhores treinadores brasileiros. Quando ele for falar os nomes dos jornalistas, me ligue para que eu dê mais quatro nomes, porque temos que fazer jornalismo sério e verdadeiro. Seja para criticar, mas dizer a verdade. Nós vivemos nossa vida com a verdade. Portanto, Renato, depois nós falamos. Dentro de campo, discutimos e lutamos pela vitória de nossas equipes, mas tenho mais quatro nomes para te dar, para que você possa falar mais quatro”. 

Após vitória sobre o Santos, pelo Campeonato Paulista deste ano:

“Nossa equipe é um bocadinho retranqueira. Jogamos atrás, não criamos oportunidade de gol, não propõe, não ganha, não bate recordes. É um gosto treinar esses jogadores. Essa equipe tem muita alma, sabe o que faz. Eu troco jogadores, centrais, goleiro, centroavante, pontas, e ela mantém um padrão”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.